top of page
Buscar
  • julianaconvida

Motoristas devem se atentar às novas diretrizes sobre insulfilm veicular


Recentemente, passaram a vigorar novas exigências em relação ao uso do insulfilm no Brasil. Vale ressaltar que descumprir a lei pode acarretar multa por infração grave e, até mesmo, retenção do veículo até que a irregularidade seja solucionada.

Motoristas que não cumprirem a regra podem ter que pagar uma multa de R$195,23, além de receber cinco pontos na CNH. Quem estiver com o veículo irregular deve resolver a questão para evitar problemas.

As novidades da regulamentação englobam bolhas nas películas. Dependendo de sua localização, elas podem dificultar a direção, comprometendo o campo de visão e a dirigibilidade. Pelas regras recentes, os veículos não podem ter bolhas nos vidros laterais dianteiros ou para-brisa.

Além disso, há também uma alteração relativa à transmitância luminosa mínima dos vidros. Segundo a Resolução 960/2022 do Contran, que aborda a quantidade de luz e brilho que passa pelo conjunto integrado por vidro a película, não há mais diferença entre o percentual de transmitância luminosa do para-brisa e dos vidros laterais dianteiros para itens incolores ou coloridos.

Anteriormente, a transmitância luminosa do para-brisa e dos vidros laterais em itens incolores não poderia ser inferior a 75% e, 70%, para coloridos. Agora, o percentual geral é de 70%. Para os outros vidros do carro, não havendo interferência à condução, o percentual segue em 28%.

Um destaque para evitar outra irregularidade: o Contran proibiu o uso de película opaca ou refletiva que impossibilite a completa passagem de luz em qualquer vidro da cabine do veículo. Pela resolução, essa nova diretriz só isenta veículos blindados e vidros do teto, além de máquinas agrícolas, florestais, rodoviárias e aqueles que são vinculados à circulação fora de vias públicas.

コメント


bottom of page