Buscar
  • Jornalista Gabriela Freitas

Entenda os riscos de atrasar o pagamento do IPVA








Assim que o calendário muda, após 365 dias, as pessoas passam a dar atenção aos diversos compromissos financeiros, principalmente impostos.


Um exemplo disso, é o Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), um tributo que deve ser pago obrigatoriamente, todos os anos, pelos proprietários dos veículos.


As datas de vencimento do pagamento variam conforme o final da placa, e sua definição é feita pela Secretaria de Fazenda estadual.


Porém, a inadimplência envolve uma série de riscos e transtornos, tanto financeiros quanto jurídicos. Além de poder ter o carro apreendido, o motorista pode encarar multas e burocracias.


Quais os riscos de não pagar IPVA?

A falta de quitação desse imposto implica em uma série de consequências. A primeira é que você não conseguirá fazer o licenciamento do seu veículo, processo responsável por validar a documentação do automóvel. Sem estar devidamente licenciado, o carro pode ser apreendido.


O cenário ainda pode agravar! Em caso IPVA atrasado, poderá receber um comunicado pelo correio com o prazo para acertar a pendência. Caso não pague mesmo assim, seu nome pode ser encaminhado para a lista de maus pagadores dos órgãos de proteção ao crédito, para como Serasa, SPC ou SCPC.


Conduzir com documentação irregular pode gerar remoção

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) estabelece, em seu art. 230, V, que conduzir um veículo que não esteja registrado e devidamente licenciado configura infração gravíssima, com previsão de multa e remoção do veículo como penalidade e medida administrativa, respectivamente.


Assim, se você for parado em uma blitz e o agente de trânsito constatar que seu automóvel não está devidamente licenciado, ele pode encaminhar a sua posterior remoção – ou seja: o veículo poderá ser guinchado. A remoção irá durar até que seja sanada a ilegalidade, nesse caso, até que o licenciamento seja realizado.


Conforme exposto no art. 131, § 2º, do CTB, o veículo somente será considerado licenciado quando for atestado o pagamento de todos os débitos relativos a tributos (como o IPVA), encargos e multas de trânsito e ambientais, vinculados ao veículo, independentemente da responsabilidade pelas infrações cometidas.


E se o carro for apreendido pela polícia?

Nesse caso, você terá que pagar, além do IPVA, os juros e a multa referente aos dias que seu carro ficou parado no pátio do Detran. Lembre-se que para retirar o veículo do pátio o processo é moroso e burocrático, pois você terá que pagar um boleto diretamente no banco, além de validar algumas documentações no PoupaTempo. Se você não conseguir pagar a dívida, seu carro irá para leilão.

Como funciona a multa cobrada pelo atraso do IPVA

A cada dia que você fica sem pagar o IPVA, é aplicada uma multa de 0,3%, no caso do estado de São Paulo. Essa porcentagem vai aumentado todos os dias. Quando chegar a 60 dias de atraso, o valor da multa estará em 18%, a partir dai ela não sobe mais. É importante lembrar que além dessa multa, ainda existem os juros que são baseados na taxa Selic.


Os valores da multa variam de acordo com cada estado. Consulte o site Detran do seu estado para verificar os valores.


Pagamento do IPVA


A liquidação anual do Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores é fundamental para que motoristas consigam conduzir tranquilamente seus veículos. Por isso, estar em dia com os débitos exige atenção!


Você pode contar com Despachante Caçula para cuidar dos documentos de seu carro, moto ou caminhão e dirigir com segunraça e conforto.

Entre em contato conosco e fique tranquilo!



Informações para o texto: Creditas.com.br

Foto: Divulgação - retirada da internet